segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Os Faróis

 


 
 








 
Diz o povo que cada "doido" tem a sua mania. A minha é: Faróis.
Já em miúda adorava visitar os faróis. Hoje, infelizmente já quase não é possível, ou pelo menos com a mesma facilidade de outros tempos.
Sempre que vou para uma zona onde haja faróis, lá vou eu fotografá-los. Já percorri toda a costa portuguesa. Falta-me o Farol das Berlengas, que, o meu "mau relacionamento" com barcos, me tem impedido de ir até lá. Lá consegui num dia de muito boa visibilidade, capturar a imagem de Peniche, mas como é óbvio não está lá grande coisa.
Talvez um dia me encha de coragem e de comprimidos para o enjôo.























sábado, 18 de agosto de 2007

De onda em onda



No mar passa de onda em onda repetido
O meu nome fantástico e secreto
Que só os anjos do vento reconhecem
Quando os encontro e perco de repente.

"Sophia de Mello Breyner Andresen"

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

O Rio



Entre mim
E os outros
Existe um rio.
Claro quando o sol nasce
E ilumina as águas e os peixes.
Escuro de breu
Ao cair da noite.
Quando me sento à sua beira
Oiço a água correr
Dentro de mim.
Quando me afasto
Levo no peito
Um cálice vazio.
Mal adormeço
Atravesso esse rio
Sem precisar de pontes
E sei que estou desperta.

"Isabel Fraga"

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

O guardador de rebanhos


Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.


Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto,
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,
Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.


"Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)"