domingo, 9 de março de 2014

Romeiros de S.Miguel

 
 
Toda a época quaresmal, na ilha de S. Miguel, grupos de homens saem à rua e percorrem a ilha toda a pé,em romaria às igrejas e capelas dedicadas a Nossa Senhora. Originalmente resultado da necessidade de prevenir, pela fé religiosa, grandes calamidades (como terramotos, no século XVI), actualmente tanto pode servir como pagamento de promessas, como para pedir saúde e sorte, ou como período de auto-reflexão e diálogo interno, para reafirmação da religiosidade.O grupo de romeiros caminha em duas filas. O romeiro usa bordão (usado sempre pelo lado de dentro do grupo), xaile e lenço, mochila e normalmente ténis, caminhando com um terço na mão e outro ao pescoço. Todo o caminho é a rezar, pois esse é um dos grandes propósitos da romaria: não dar um passo sem rezar. Antes de entrarem na Igreja colocam os bordões no chão paralelamente, pegando-lhes de novo à saída para continuar a caminhada. À noite, pernoitam em casa das pessoas que aceitam, normalmente aos pares, dar-lhes guarida (e alimento).